Acadêmica e Cultural

ELE PRECISA COMEÇAR Palco Giratório SESC 2010

18/07/2010 13:35

ELE PRECISA COMEÇAR

Palco Giratório SESC 2010

Ele já está com 35 anos, está sozinho em seu quarto de hotel e tem o dia inteiro livre. Ele ainda não sabe onde isso vai dar, mas começa a escrever uma peça. Começa da primeira idéia que lhe vêm à cabeça: um autor escrevendo, sozinho em seu quarto de hotel. Ele precisa começar.

 

texto e atuação Felipe Rocha direção Alex Cassal e Felipe Rocha  direção de movimento Dani Lima cenário Aurora dos Campos iluminaçãoTomás Ribas trilha sonora Felipe Rocha assistente de direção Stella Rabello fotos Barbara Copque

 

ETAPA AMAZÔNIA

MANAUS

Ele precisa começar – 19/07 (SEG) às 19:30  

Oficina – 20/07 (TER)

Teatro José Lindoso

Rua Henrique Martins, 427 – Centro – Manaus, AM

Info: (92) 2126-9587

Entrada franca

 

Duração 70 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 12 anos.

 

http://www.eleprecisacomecar.blogspot.com/

 

Uma roda viva, sem arame de segurança. Um sacode no tédio da dramaturgia contemporânea. Marcia Zanelatto - dramaturga 

Felipe Rocha está sempre disposto a questionar conceitos de espetáculo, criação e interpretação em seus trabalhos. Nessa peça, imperdível para quem gosta de teatro, ele se utiliza de recursos simples para proporcionar ao público uma mágica e fascinante viagem ao mundo da criação. Emílio de Mello - ator (Revista Aplauso)


Autor, ator e personagem se misturam a todo momento, estabelecendo um jogo saboroso entre ficção e realidade, que encanta pela maneira criativa e espontânea com que se desenrola. Gabriela Melão - crítica teatral


Após assistir a essa exposição de busca de sentido para a cena, fica a certeza de que Felipe Rocha precisa continuar. Macksen Luiz - crítico de teatro (Jornal do Brasil)


Um espetáculo sólido, bem interpretado, divertido e que nos faz refletir sobre o lugar da dramaturgia (e do próprio público) no teatro que se faz hoje.João Branco - diretor do Festival Mindelact, Cabo Verde


Ele Precisa Começar começa com a falsa idéia de um experimento cênico de câmara e agiganta seus espaços (físicos e semânticos) com uma sacolejante explosividade. É como um elefante numa loja de porcelanas – exceto que o elefante canta e dança balé entre as louças, sem jamais derrubá-las. Rafael Gomes - cineasta 

O autor/ator Felipe Rocha nos leva, em alta velocidade a uma espécie de túnel que tem no final um caleidoscópio como luz. Daniela Pereira de Carvalho - dramaturga (Folha de São Paulo) 

 

 

Voltar

Pesquisar no site

© 2010 Todos os direitos reservados.